Enviando email...

Seis itens para considerar na hora de comprar móveis

21/07/2017

1 - Ergonomia

Os móveis devem ser escolhidos pensando no conforto que oferecem. Por isso, na hora de montar a sala de TV, escolha primeiro o sofá. O móvel deve acomodar todos de maneira confortável. Em seguida, a televisão deve ser posicionada na altura correta para os moradores. Seguindo esses passos, uma família de pessoas altas, por exemplo, não precisará curvar a coluna toda vez que for assistir algo.

Para a sala de jantar, escolha cadeiras bem confortáveis, o que os profissionais chamam de "cadeira para três horas". Significa que é possível aproveitar uma refeição longa sem incômodos.

2 - Dimensão

O primeiro passo, que nunca deve ser pulado, na hora de comprar móveis é checar a dimensão do espaço onde a peça será instalada. Além disso, é preciso conferir também todo o caminho que o móvel irá percorrer até chegar ali. Dessa forma, você evita que o sofá não passe na porta ou não caiba no elevador, por exemplo.

3 - Composição

Um hábito que quase ninguém tem é verificar os materiais utilizados na fabricação do móvel. A atenção evita que você leve para casa peças com produtos químicos nocivos, como o metanal.

 

4 - Aposte em móveis grandes

Muita gente acredita que um armário muito alto ou um sofá largo deixam os ambientes desproporcionais. Mas, geralmente, o que acontece é o contrário. Se instalados corretamente, as peças grandes trazem sensação de amplitude aos ambientes. Evite preencher um espaço de metragem reduzida com peças pequenas. A combinação deixa o ambiente ainda menor.

5 -  Brinque com formatos

Se a sua sala possui um espelho e uma luminária redonda, que tal apostar em uma mesa de centro retangular? Brincar com os formatos dos móveis traz charme e personalidade aos ambientes.

6 - Vintage e customizado

Uma casa que espelhe a personalidade do morador é o que chamamos de lar. Para garantir esse aconchego, aposte em itens com a sua cara. Se curte garimpo, visite diferentes lojas até encontrar aquela móvel pelo qual você se apaixone. Depois, é só pensar a decoração do espaço que irá recebê-lo a partir da peça.

 

LEIA MAIS
0 Comentários

Lei aprovada facilita a regularização de imóveis irregulares em todo o Brasil

17/07/2017

Registrar imóveis por meio do instituto da usucapião extrajudicial ficou mais fácil em todo o Brasil. Isso porque foi sancionada a Lei Federal nº 13.465, que retirou a obrigatoriedade da anuência do proprietário e confrontantes sob o imóvel usucapiendo.

Na prática, a iniciativa vai valorizar o imóvel de muitos cidadãos, uma vez que vai resgatar propriedades que atualmente se encontram fora do mercado imobiliário e alimentam uma perigosa prática de transações informais. Para se ter uma ideia, segundo o Ministério das Cidades, o Brasil possui mais de 50% dos seus imóveis urbanos com alguma irregularidade fundiária.

“Isso significa que aproximadamente 100 milhões de pessoas moram em imóveis irregulares e estão privadas de algum tipo de equipamento urbano ou comunitário”, explica Andrey Guimarães Duarte, presidente do Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo, entidade que congrega os cartórios de notas paulistas.

Usucapião de imóvel é um modo originário de aquisição da propriedade que se dá pela posse prolongada do bem, de acordo com os requisitos legais. O primeiro passo para quem pretende usucapir um imóvel pela via administrativa é ir ao cartório de notas para fazer uma ata notarial, na qual deverá constar a declaração do tempo de posse do interessado e da inexistência de ação possessória ou reivindicatória envolvendo o imóvel usucapiendo.

Posteriormente, o interessado, representado por advogado, deverá apresentar a ata notarial e os demais documentos necessários ao Registro de Imóveis. O procedimento de reconhecimento extrajudicial da usucapião envolve a análise da documentação apresentada, a publicação de edital, a manifestação dos confrontantes e do Poder Público.

Quais são os documentos necessários?

• Documentos pessoais;
• Planta e memorial descritivo assinado por profissional legalmente habilitado, com prova de anotação de responsabilidade técnica no respectivo conselho de fiscalização profissional, e, se possível, pelos titulares de direitos reais e de outros direitos registrados ou averbados na matrícula do imóvel usucapiendo e na matrícula dos imóveis confinantes;
• Certidões negativas dos distribuidores da comarca da situação do imóvel e do domicílio do requerente;
• Justo título ou quaisquer outros documentos que demonstrem e origem, a continuidade, a natureza e o tempo da posse, tais como pagamento dos impostos e das taxas que incidirem sobre o imóvel.

Sobre o CNB/SP

O Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo (CNB/SP) é a entidade de classe que representa institucionalmente os tabeliães de notas do estado de São Paulo. As seccionais dos Colégios Notariais de cada Estado estão reunidas em um Conselho Federal (CNB/CF), que é filiado à União Internacional do Notariado (UINL). A UINL é uma entidade não governamental que reúne 87 países e representa o notariado mundial existente em mais de 100 nações, correspondentes a 2/3 da população global e 60% do PIB mundial.

Fonte: Exame

LEIA MAIS
0 Comentários

Tapete lindo é tapete limpo!

17/07/2017

Isso já aconteceu com você? 
Seu apartamento acabou de ser decorado. Para comemorar o fim das obras, resolve fazer uma reunião com os amigos. O papo está ótimo, todos estão entrosados. Até que você repara naquela imensa mancha escura e molhada no seu tapete novo. "Droga", pensa. "Eu bem que podia tê-lo tirado daí antes da festa." Mas, sem ele, o cômodo não seria o mesmo. Para fugir desse apuro, juntamos dicas de como limpar e conservar diversos tipos de tapete. Lembre-se de imprimir os tópicos antes da próxima rodada. 

LEIA MAIS
0 Comentários

Iluminação no quarto de casal: a peça chave para decoração

04/07/2017

A iluminação é um fator fundamental para garantir aconchego e bem-estar em toda a casa. Quando se fala do quarto, essa questão se torna ainda mais evidente

LEIA MAIS
0 Comentários

É obrigatório ter um corretor de imóveis em uma negociação de compra e venda?

01/07/2017

Pode até parecer um pouco suspeito, eu, uma corretora de imóveis, falar se um profissional da minha área é ou não fator obrigatório em uma negociação de compra e venda. Mas a verdade é que não. Nada na lei impede que alguém resolva vender ou comprar um imóvel sem a assistência de um corretor.

LEIA MAIS
0 Comentários
Siga-nos: